Jaborandi

Dicas incríveis da Cidade
Previsão do Tempo - dia 20/09
Max: 39 °C
Min: 19 °C
Fonte: Cptec
Previsão do Tempo - dia 21/09
Max: 39 °C
Min: 17 °C
Fonte: Cptec
Previsão do Tempo - dia 22/09
Max: 38 °C
Min: 17 °C
Fonte: Cptec
Previsão do Tempo - dia 23/09
Max: 36 °C
Min: 17 °C
Fonte: Cptec

Sobre a Cidade:

Jaborandi é um município brasileiro do estado da Bahia. Localiza-se a uma latitude 13º37’10” sul e a uma longitude 44º25’58” oeste, estando a uma altitude de 448 metros. Sua população estimada em 2004 era de 9 568 habitantes. Possui uma área de 10066,2 km².

História

O território onde hoje está localizado o município de Jaborandi, era uma vasta extensão de terras que pertencia ao município de Correntina, quando no ano de 1928, começaram a chegar e a se instalarem em vários pontos desta área, os primeiros povoadores, oriundos das “Lavras”, atraídos pela grande extensão de terra férteis e a abundância de água, fatores primordiais para a exploração das atividades agrícolas e pecuárias.

Nesta vasta extensão de terra, eram encontradas apenas algumas fazendas com atividades agropecuárias e os aglomerados de Arrodiador e Gatos, atualmente Felicianópolis e São Sebastião do Formoso, respectivamente, que eram formados por algumas casinhas de taipa sendo umas cobertas com telhas de barro e outras cobertas com palhas. Nestes aglomerados, situados à margem esquerda do rio Formoso, os primeiros moradores reuniam-se para fazerem transações comerciais de seus produtos e realizarem compras de produtos de outras regiões, tais como, o café, o sal, o querosene, tecidos, etc,. Alguns anos mais tarde, surgir próximo de onde hoje está situada à sede do município, um outro aglomerado que recebeu o nome de Jaborandizinho.

Por volta do ano de 1943, o proprietário da fazenda onde hoje está plantada a sede do município, Euclides Moreira Alves, além de suas atividades agropecuárias, começou também a explorar atividades comerciais, época em que cedeu uma área de terra de sua propriedade, para ser construída a capela que foi dedicada a Santo Antônio, padroeiro da cidade, ficando filiada a Diocese de Bom Jesus da Lapa, sendo que a primeira missa ocorreu no ano de 1945 e foi celebrada pelo Padre Francisco Valdemar Antunes.

Depois da construção da Igreja, começaram a surgir as primeiras casas ao seu redor, formando assim um pequeno aglomerado.

O aglomerado promissor, que recebeu o nome de Jaborandi, devido a grande quantidade de árvores com este nome, ali existente, começou a atrair moradores de várias regiões, sendo necessário a disponibilidade de locais para construir suas moradias. Foi aí que surgiram os primeiros loteamentos feitos pelos proprietários de terra, Euclides Moreira Alves e Dona Maria Queiroz. Os primeiros moradores do lugar, além dos donos dos loteamentos, foram os Senhores João Nunes da Mata, Timóteo de tal e Porfírio José da Silva. Chegando posteriormente para exercer atividades comerciais, os Senhores Porfírio Fogaça, Jorge Fogaça, Manoel Rodrigues, Antônio Cândido Rodrigues e outros.

Em 1975, o Povoado de Jaborandi já era bastante desenvolvido e seus moradores começavam a pensar na emancipação política administrativa e entendiam que os seus destinos teriam de serem tratados por eles mesmos. A partir daí, foram iniciados movimentos pela emancipação, tendo a frente os Senhores Euclides Moreira Alves, Lídio Dias da Silva, Esmael Ferreira e outros, no sentido de viabilizar a independência política do Povoado, fato que ocorreu com a criação do município de Jaborandi, no dia 9 de maio de 1985, através da Lei Estadual n° 4 438 e publicada no Diário Oficial do Estado da Bahia do dia 10 de maio de 1985, cuja instalação aconteceu solenemente no dia 12 de maio de 1986, tendo sido nesta mesma data instalada também a Câmara de Vereadores, que em seguida empossou o primeiro Prefeito Lídio Dias da Silva.

Geografia

O clima é Tropical semi-úmido com 4 a 5 meses secos e tem uma temperatura média maior que 18°C, o período chuvoso acontece nos meses de novembro a março. Sua pluviosidade média anual é de 1.200mm.

A vegetação predominante do município é de savana (cerrado), entretanto, existem áreas de regiões mais baixas, onde são encontradas florestas estacionais deciduais que a pesar das constantes derrubadas, ainda se verifica grande riqueza natural. Nestas florestas ainda são encontradas mesmo que em pequena escala, madeiras de lei como sejam: jacarandá, aroeira, peroba, cedro, pau d’arco, umburana e várias outras espécies de plantas.

A fauna é rica na existência de animais silvestres, notando-se o gato do mato, gato pintado, onça, veado, caititu, capivara, anta, ema, lontra e vários outros. O único mineral extraído é a pedra calcária para construção e o fabrico de cal, no entanto, existem outros minerais não explorados.

O município acha-se localizado em terreno plano e um pouco acidentado, a rede hidrográfica do município é extensa e faz parte da Bacia do Médio São Francisco e como principais rios, podemos citar o rio Formoso, rio Arrojado, rio Correntina, rio Arrojadinho, rio Pratudinho, rio Pratudão, riacho do Vau, riacho Manoel, riacho da Onça, riacho Melancia, riacho Vazante, riacho do Saco, riacho Itapicurú, riacho Jacurutu e outros.

Economia

A atividade predominante no município é a agropecuária. Existem regiões com pulverizações de pequenas propriedades e outras áreas com concentração de terras com áreas maiores. Na agricultura destaca-se o cultivo de soja, milho e o algodão, nas grandes propriedades em áreas de cerrado, onde são utilizadas altas tecnologias. Já nas pequenas propriedades desenvolvem uma agricultura basicamente de subsistência com o cultivo da mandioca, feijão, arroz, cana-de-açúcar e outras culturas de significado valor econômico. A pecuária também representa grande expressão econômica, segundo o que se apurou, existem no município rebanhos de bovinos e suínos, sendo que a bovinocultura de corte, é a principal atividade, caracterizando-se pela exploração extensiva e com uso de baixa tecnologia. Outros rebanhos de menor expressão econômica, foram notados também, tais como: suínos, caprinos, ovinos, aves, eqüinos, asininos e muares. Parte das famílias residentes na zona rural, desenvolvem trabalhos ligados ao setor terciário da economia, como a produção de cerâmica (tijolos e telhas), queijo, requeijão, aguardente de cana, rapadura e farinha.

Meios de transportes e comunicações

O município de Jaborandi, liga-se diretamente a Capital Federal via gerais 600 km; à capital do Estado, via rodovia 1.031 km; às cidades vizinhas de Correntina, por rodovia, 49 km; Coribe, via rodovia, 18 km; Cocos, via rodovia, 55 km; São Felix do Coribe, via rodovia, 47 km; Santa Maria da Vitória, também por rodovia, 48 km. O município é servido por três Empresas de Transporte. Possui também um campo de pouso com uma extensão de 1000X50 metros, aproximadamente, cuja pista é revestida de terra natural.

Aspectos urbanos

Na cidade existem várias ruas, três praças, uma Avenida, sendo que todos os logradouros são pavimentados a paralelepípedo e outros com pavimentação asfáltica. O abastecimento de água é feito pela autarquia municipal denominada SAAE, com um total de 688 ligações. A cidade de Jaborandi possui também iluminação pública, cuja rede elétrica se estende em todos os logradouros. Existem também 01 Hotel, Agência dos Correios e um Posto Telefônico.

Assistência médico-sanitária

Existem no município um Hospital Municipal, que atende várias especialidades médicas, uma UTI móvel e três Postos de Saúde, sendo dois na zona rural, que presta serviços à população em programas de imunização, orientação, pequenos curativos, etc. O município de Jaborandi é servido por uma rede de esgoto com estação de tratamento.

Cultura

O Culto Católico predomina no município e está subordinada à Diocese de Bom Jesus da Lapa, conta com três Igrejas, sendo uma Matriz, entretanto existem outros Templos religiosos tais como: Assembléia de Deus e Testemunha de Jeová, que são freqüentado por um número razoável de fiéis.

A mais importante festa religiosa de caráter popular é celebrada na Igreja Matriz, no dia 13 de junho, em homenagem a Santo Antonio, padroeiro da cidade com tradicionais novenas e com a realização da missa solene no dia das festividades, ocasião em que uma procissão percorre as principais ruas da cidade. Existe também a festa de São Sebastião no dia 20 de janeiro, no aglomerado de São Sebastião do Formoso, antigo Gatos, todas com tradicionais novenas e a missa no dia da solenidade.

Representação política

A Câmara Municipal é composta de 9 vereadores. No segundo turno das eleições presidenciais de 2002, tinha 6.990 eleitores inscritos. Dos 4.737 votos apurados, 73 foram brancos; 257 nulos; 4.407 válidos, tendo ocorrido 2.253 abstenções.

Referências

  • Agência do IBGE de Santa Maria da Vitória, Original a disposição na Agência.

Referências citadas

  1. ? 1,0 1,1 Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. ? Estimativas da população para 1º de julho de 2009 (PDF). Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (14 de agosto de 2009). Página visitada em 16 de agosto de 2009.
  3. ? Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  4. ? 4,0 4,1 Produto Interno Bruto dos Municípios 2002-2005. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (19 de dezembro de 2007). Página visitada em 11 de outubro de 2008.