carregando

Cultura

A cultura alagoana é baseada na culinária, no folclore e na tradição do artesanato e bordados que são considerados os mais ricos e variados do Nordeste, sendo produzidos em todos os quadrantes do estado. São trabalhos manuais que tem seus ensinamentos transmitidos por gerações, e que tem grande procura e valor tanto pelo mercado nacional como o internacional.

As peças são confeccionadas em palha, cerâmica, madeira, couro, casca de coco, fibra de bananeira, além dos tradicionais bordados de variados estilos e modelos, sendo a principal fonte de renda das comunidades de todo o estado de Alagoas.

Em Maceió, a capital, a referência do artesanato, na linha de bordados, é o bucólico bairro do Pontal da Barra, à margem da Lagoa Mundaú, onde os homens são pescadores e as mulheres exímias artesãs, que, em seus teares de madeira, produzem belíssimos desenhos em filé, renda e labirinto. Já os trançados de palha de ouricuri e cipó e as rendas singelezas podem ser encontradas na região do município de Água Branca, e tem a tradição de 5 e 30 anos respectivamente. Há também os produtos artesanais ligados à gastronomia, como por exemplo, as broas e sequilhos produzidos no município de Maragogi, litoral norte de Alagoas.

Os produtos em cerâmica utilitária, como caqueiras, panelas, moringas, potes etc, são encontrados em todas as feiras-livres do Estado e também nos mercados de artesanato de várias cidades.

Em Penedo, na região da Foz do Velho Chico, são comercializados também produtos artesanais feitos à base das palhas de coqueiro ouricuri e de taboa. Já em União dos Palmares, na Região dos Quilombos, são vendidas peças em cerâmica produzidas no povoado Muquém - reduto de negros remanescentes do Quilombo dos Palmares - e ainda peças confeccionadas com fibra da bananeira e filé - produzidas em Maragogi, no litoral Norte alagoano -, que foram apresentadas no II Salão do Turismo, em São Paulo, sendo "case" de sucesso do artesanato.

A culinária deliciosa e diversificada também faz parte da cultura do estado. São várias as especialidades encontradas nos cardápios dos restaurantes e bares, onde os destaques são para a qualidade e variedade dos frutos do mar, dos vários tipos de carnes, doces e sucos de frutas tropicais. O prato típico que melhor representa a culinária alagoana é o Sururu de Capote, que são mexilhões cozidos no leite de coco, com tomate, cheiro verde e outros temperos. Podemos citar outros pratos regionais típicos como: carne-de-sol com fava e feijão verde, picanhas grelhadas na chapas aquecidas a álcool, pernis, bistecas, frangos assados e a nobres carnes de avestruz e de búfalo.

O folclore alagoano tem suas raízes com origem nos três elementos colonizadores do povo brasileiro: o negro, o branco e o índio. As manifestações folclóricas acontecem durante todo o ano, de acordo com o período festivo e reúne mais de 30 manifestações. Entre os mais conhecidos destacam-se os de período natalino: Pastoril, Guerreiro, Taieira, Baianas, Reisados, Marujada, Presépio, Cavalhada. Das festas religiosas, o Mané do Rosário e Bandos dos Carnavalescos, Cambindas,Negras da Costa, Samba do Matuto, Caboclinhos, Torés de Índio e de Xangô e as Danças de São Gonçalo, Coco Alagoano, Rodas de Adulto. As mais importantes manifestações cantadas e dançadas são a Quadrilha, o Coco de Roda e a Banda de Pífano, assim como os violeiros e repentistas encontrados nas praias. Em União dos Palmares comemoram-se a Festa do Milho, e o Dia Nacional da Consciência Negra. Outra festa popular tradicional de destaque é a Peja (marcação do gado). Entre as danças típicas destacam-se o Bate-Coxa e o Coco.