carregando

Goiás - Apresentação

Goiás é uma das 27 unidades federativas da República Federativa do Brasil. Situa-se a leste da Região Centro-Oeste, no Planalto Central brasileiro. O seu território é de 340.086 km², sendo delimitado pelos estados de Tocantins (norte), Bahia (nordeste), Mato Grosso (oeste), Mato Grosso do Sul (sudoeste), Minas Gerais (leste e sul) e pelo Distrito Federal. Tem por capital a cidade de Goiânia.
Com quase seis milhões de habitantes é o estado mais populoso do Centro-Oeste. Em 2006 era o nono estado mais rico do país.
O topônimo Goiás (anteriormente, Goyaz) tem origem na denominação de uma comunidade indígena. O termo original parece ter sido Guaiá, forma composta de Gua e iá, a qual significa "indivíduo igual", "pessoas de mesma origem". O nome Goiás, quando utilizado no meio de uma frase, dispensa o emprego de artigo, similarmente ao que acontece na designação dos estados de Mato Grosso, de Mato Grosso do Sul e de Minas Gerais.
 

Características

 
 
Situado no Centro-Oeste, o Estado de Goiás possui 246 municípios, quatro deles emancipados em 1997. Nono colocado no ranking econômico dos Estados, se destaca no desenvolvimento da pecuária bovina extensiva. Isso graças às condições favoráveis de relevo da região, em que predominam as chapadas, planaltos e vastos campos abertos. A Capital começou a ser transferida da cidade de Goiás para Goiânia, em 1937, onde está o Palácio das Esmeraldas, sede do Governo estadual. O traçado de Goiânia foi inspirado no projeto que o urbanista Unwin traçou para a cidade de Letchwhorth, na Inglaterra, protótipo das cidades jardins concebidas por Ebnezer Howard em fins do século passado.
 

Cultura

 
Quarta-feira de Semana Santa, noite de lua cheia. Na antiga capital do Estado de Goiás, os lampiões vão se apagando um a um, e o Centro Histórico, como nos tempos coloniais, fica novamente iluminado apenas pelo fogo de tochas. Nessa data especial, gente vinda de toda a parte se junta aos moradores para participar do Fogaréu, a procissão que simboliza a busca e captura de Cristo pelos guardas romanos. E continua sendo realizada desde 1745. Quem disse que não existe máquina do tempo? Pois é difícil não se deixar transportar ao passado quando, à meia-noite em ponto, um grupo de quarenta pessoas - vestindo túnicas coloridas com capuz pontudo - dá início ao cortejo. São os Farricocos, ícones da cidade. A procissão segue em clima dramático, cadenciada pelo ritmo de tambores militares enquanto as figuras seculares avançam descalças por ruas estreitas calçadas por escravos.
 
Fundada durante o ciclo do ouro, a Cidade de Goiás preserva sua história, costumes e tradições, resistindo à passagem dos anos. Ao cair da tarde, quando o forte calor dá uma acalmada, seus moradores, os vilaboenses, põem cadeiras à porta de casa e puxam bate papo, sem pressa. A vida segue em outra rotação, saudável e tranquila. Mesmo em plena era da Internet, os sinos das igrejas, tataravôs dos meios de comunicação, permanecem vivos em seu papel. Basta perguntar aos mais velhos: conforme o repique e o tom, são anunciados missa, casamento, procissão e enterro; nesse último caso, badaladas graves para homem e agudas para mulher. Ao sinal, como antigamente, o povo pergunta o nome de quem se foi.
 

Rodovias

 
BR-050 é uma Rodovia Federal radial do Brasil. Seu ponto inicial fica na cidade de Brasília (DF), e o final, em Santos (SP). Passa pelo Distrito Federal e pelos Estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo.
 
Parte da rodovia encontra-se sob jurisdição dos governos estaduais, onde opera por concessionárias privadas. Nestes trechos, a BR-050 apresenta pista dupla e pedágios. Por tal motivo, nestes trechos, a rodovia perde a nomenclatura original e passa a ser integrante da malha viária do estado onde está localizada. É o caso do estado de São Paulo, em que a rodovia passa a se chamar Via Anhangüera (SP-330) de Igarapava até São Paulo e de Via Anchieta (SP-150) de São Paulo até Santos.
 
BR-060 é uma Rodovia Federal radial do Brasil. Seu ponto inicial fica na cidade de Brasília (DF), e o final, em Bela Vista (MS), na fronteira com o Paraguai. Passa pelo Distrito Federal e pelos Estados de Goiás e Mato Grosso do Sul.
 
BR-153 é a principal ligação do Centro-Oeste e do Meio-Norte do Brasil (Pará, Amapá, Tocantins e Maranhão) com as demais regiões do país. Metrópoles como Goiânia e Brasília a utilizam como o principal corredor de escoamento. É também muito utilizada para acender a regiões turísticas como a da estância de Caldas Novas (Goiás), e a cidade histórica de Pirenópolis (Goiás).

Histórico

 
 
Os colonizadores portugueses chegaram pela primeira vez na região hoje conhecida como o Estado de Goiás após quase um século do descobrimento do Brasil. As primeiras ocupações deveram-se a expedições de aventureiros bandeirantes provenientes de São Paulo, entre as quais destacou-se a de Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhangüera, que seguia em busca de ouro, tendo encontrado as primeiras jazidas no final do século XVII. Conta a lenda que diante da negativa dos índios de informar-lhe sobre o lugar de onde retiravam as peças de ouro com que se adornavam, Bartolomeu Bueno da Silva despejou aguardente num prato e a queimou, dizendo aos indígenas que o mesmo faria com a água de todos os rios e nascentes da região, caso não lhe fossem mostradas as minas. Apavorados, os índios o levaram imediatamente às jazidas, chamando-o Anhangüera, que significa feiticeiro no idioma nativo. Com esse nome Bartolomeu Bueno da Silva e seu filho passaram à história. Após esse fato, foram inúmeras as expedições que partiram em direção a Goiás em busca das riquezas do subsolo da região. Em 1726, foi fundado, pelo próprio Bartolomeu Bueno, o primeiro vilarejo da região, denominado Arraial da Barra. Desde então, os povoados passaram a se multiplicar e a exploração do ouro atingiu seu auge na segunda metade do século XVIII.
A colonização de Goiás deveu-se também à migração de pecuaristas que partiram de São Paulo no século XVI, em busca de melhores terras para o gado. Dessa origem ainda hoje deriva a vocação do Estado para a produção pecuária.
Em 1744, a região onde hoje se encontra o Estado de Goiás, antes pertencente ao Estado de São Paulo, foi separada e elevada à categoria de província. A partir de 1860, a lavoura e a pecuária tornaram-se as atividades principais da região, ao mesmo tempo em que a atividade de mineração do ouro entrou em decadência devido ao esgotamento das minas. A navegação a vapor e a abertura de estradas, no final do século XIX, possibilitaram o escoamento dos produtos cultivados no Estado, permitindo o desenvolvimento da região. No século XX, a construção da nova capital, Goiânia, deu grande impulso à economia do Estado, que deu sinais de novo surto de desenvolvimento com a criação de Brasília, a nova capital do Brasil, em 1960. Em 1988, o norte do Estado foi desmembrado, dando origem ao Estado do Tocantins.