Coimbra

Dicas incríveis da Cidade
Previsão do Tempo - dia 11/04
Max: 26 °C
Min: 18 °C
Fonte: Cptec
Previsão do Tempo - dia 12/04
Max: 24 °C
Min: 17 °C
Fonte: Cptec
Previsão do Tempo - dia 13/04
Max: 24 °C
Min: 16 °C
Fonte: Cptec
Previsão do Tempo - dia 14/04
Max: 26 °C
Min: 16 °C
Fonte: Cptec

Sobre a Cidade:

Coimbra é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Localiza-se a uma latitude 20º51’24” sul e a uma longitude 42º48’10” oeste, estando a uma altitude de 720 metros. Sua população estimada em 2004 era de 7.060 habitantes. Possui uma área de 107,12 km².

História

A origem dos acontecimentos em Minas Gerais desde os finais do século XVII se deu de maneira diversa. Coimbra, lugar aprazível, de origem relativamente recente, cuja amenidade do clima não admite confronto, seguiu o costume da época.

No caso específico, constata-se que o lusitano Manoel Coimbra centralizou sua ação pioneira no território onde atualmente está localizada a cidade. Proprietário de um sítio, teatro sem dúvida de muitos episódios histórico e cultural, doou uma faixa de terra ao patrimônio canônico, onde se construiu a ermida que se denominou Capela de São Sebastião dos Coimbras, imprimindo novos rumos ao destino do lugarejo. Com a força civilizadora e religiosa, as pessoas sentiam-se mais seguras, certas de poderem contar com a assistência de um chefe espiritual, ainda que esporadicamente, pois não tinha um padre fixo.

Durante o período em que o Brasil foi colônia portuguesa e, posteriormente, Império, a divisão administrativa misturava-se à classificação eclesiástica dada ao lugar. Assim, quando um povoado era denominado Capela, ele era um arraial ou um distrito. Quando progredia, o arraial transformava-se em paróquia ou freguesia, podendo então ser um distrito ou uma vila. O nome cidade era apenas honorífico, uma vez que quando o local era elevado à categoria de vila recebia foros de município, sediando, portanto, a Câmara, a Juricatura etc.

Coimbra teve as seguintes classificações no contexto administrativo de Minas Gerais: A Lei nº 1.103, de 16 de outubro de 1861, elevou o arraial à categoria de distrito ou capela filial, passando a pertencer à Vila de Santa Rita do Turvo (atual cidade de Viçosa) como Distrito e depois à Paróquia de Santa Rita do Turvo como Capela Filial, antes fazia parte da Paróquia do Pomba e de Ubá.

Em 1870, crescendo em importância, deixou de ser Capela Filial para se tornar Capela Curada e passou a contar com um padre ou cura fixo no local. Assim, funcionou até a sua elevação à paróquia ou freguesia pela Lei nº 2.031, de 1º de dezembro de 1873.

O lugar cingido por montanhas verdejantes, de clima saudável e água de poder rejuvenecedor, atraía pessoas oriundas de várias plagas. Os viajantes ao se encontrarem pelas estradas, com algum problema pendente, marcavam encontro no sítio do Manoel, que depois foi denominado de pousada dos Coimbras e, posteriormente, Rancho, que também funcionou como correio. Nesse período, as correspondências, gêneros alimentícios e as mais variadas mercadorias eram trazidos pelos tropeiros e mascates, que faziam pouso no Rancho de Coimbra, em lombos de burros, bestas ou mulas, dentro de malas de couro cru, também chamadas bruacas, apropriadas para o transporte seguro de objetos perecíveis.

Toponímia

O nome dado à atual cidade, desde os primórdios, é uma homenagem a seu benfeitor, Manoel Coimbra. Antes o povoado chamava-se São Sebastião dos Coimbras, reduzido a Coimbra pela Lei Provincial nº 843, de 7 de setembro de 1923, e pela Lei Estadual nº 02, de 14 de setembro de 1891, após ter sido desmembrada do Município de Ubá. Tornou-se Município e Cidade por força da Lei nº 336, de 27 de dezembro de 1948. O historiador Joaquim Ribeiro da Costa, em sua obra, assim se expressa: Coimbra. “Topônimo em homenagem a Manoel Coimbra, português, primeiro morador e benfeitor do lugar”

Hino

Letra de Aparecida Simões e música de Expedito G. de Castro

Com respeito, este chão brasileiro
Ele veio pisar com amor.
Escolheu este canto mineiro,
Por seu berço, ao lugar deu valor.
Coro
Manoel, Manoel Coimbra,
Destemido varão português,
Manoel, Manoel Coimbra,
De seu nome a cidade se fez.
Rancho antigo e alegre pousada
Do tropeiro, cansado viajor!
Foi do Coimbra singela morada,
É de Coimbra a herança de amor.
Coro
Construiu uma linda capela
Para honra de São Sebastião
Hoje, uma igreja tão bela
Um convite ao fervor da oração.
Coro
No lugar pequenino de outrora,
A semente do bem germinou.
E o produto é a cidade de agora
Pela qual tanta gente lutou
Coro
Salve Coimbra, cidade ternura!
Onde há paz e calor juvenil.
Tu cultivas e colhes ventura
Pois, teu povo é valente e gentil.
Hino aprovado em 26 de março de 1996 pelo Projeto de Lei nº 110/96 por unanimidade na Câmara dos vereadores. Nele a autora faz :referência à Terra, ao responsável pelo nome Coimbra, aos homens que lhe fizeram a história e exalta a qualidade do povo :coimbrense. O Hino, composto de um coro de quatro versos e de cinco quadras, é condensado, pequenino como a própria cidade, mas tem :conteúdo histórico e poético.

  1. ? 1,0 1,1 Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. ? Estimativas da população para 1º de julho de 2009 (PDF). Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (14 de agosto de 2009). Página visitada em 16 de agosto de 2009.
  3. ? Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  4. ? 4,0 4,1 Produto Interno Bruto dos Municípios 2002-2005. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (19 de dezembro de 2007). Página visitada em 11 de outubro de 2008.

 

Este artigo é um esboço sobre Geografia de Minas Gerais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.