carregando

São Paulo - Apresentação

São Paulo é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado no sul da região Sudeste e tem como limites os estados de Minas Gerais (N e NE), Rio de Janeiro (L), Paraná (SO) e Mato Grosso do Sul (O), além do oceano Atlântico (SE). É dividido em 645 municípios e ocupa uma área de 248.209,426 quilômetros quadrados, sendo pouco maior que o Reino Unido. Sua capital é a cidade de São Paulo e seu atual governador é José Serra.

Apelidado de "locomotiva do Brasil", o estado é isoladamente responsável por 33,9% do PIB brasileiro, sendo o estado mais rico do país. Além do maior PIB, São Paulo também possui o terceiro maior Índice de Desenvolvimento Humano, o segundo maior PIB per capita, a segunda menor taxa de mortalidade infantil e a quarta menor taxa de analfabetismo entre as unidades federativas do Brasil.

Com mais de quarenta milhões de habitantes, São Paulo é o estado mais populoso do Brasil e a terceira unidade política mais populosa da América do Sul, sendo superada apenas pelo próprio país e pela Colômbia, à frente de todos os outros países sul-americanos. Sua população é a mais diversificada do Brasil e descende principalmente de imigrantes italianos, portugueses, ameríndios, africanos além de outras grandes correntes migratórias, como árabes, alemães, espanhóis e japoneses. Sua capital é o município de São Paulo, cuja população da região metropolitana atualmente é de 19 milhões de habitantes - último censo de 2007.

Características

É o centro econômico e industrial mais importante da América do Sul. Nele se encontram os dois maiores mercados consumidores do País, a Grande São Paulo e o Interior do Estado. É cortado pelo Trópico de Capricórnio. A Capital, também chamada de São Paulo, é uma das Cidades mais importantes da América Latina, com intensa vida cultural e artística. É uma das cinco maiores Cidades do Mundo.

Cultura

Por ter influenciado o Brasil de forma ativa na política e na economia o estado de São Paulo acabou influenciando o país também em âmbito cultural. A cultura paulista é uma das mais ricas dentre os estados brasileiros, justamente por ser uma mistura de todas as outras culturas nacionais. Isso deveu-se às várias ondas migratórias e imigratórias que vieram para o estado nos séculos XX e XXI, trazendo costumes distintos para um mesmo lugar e criando uma cultura singular, seja na música, na literatura ou nas artes plásticas.

Theatro Pedro II em Ribeirão Preto.O principal pólo cultural do estado é sua capital, São Paulo, porém outros grandes núcleos urbanos como Campinas, Ribeirão Preto e Campos do Jordão também apresentam uma vida cultural rica e agitada.

Turismo 

Uma parcela significativa da economia paulista vem do turismo. Além de ser um centro financeiro o estado também oferece uma enorme variedade em destinos turísticos:

Capital:A capital paulista é o centro do turismo de negócios no Brasil, o que proporciona à cidade cerca de 45 mil eventos por ano. São Paulo, também possui a maior rede hoteleira brasileira. Por especulação imobiliária em meados dos anos 1990, hoje existe excesso de oferta em número de vagas. A cidade também conta com procura no turismo gastronômico, depois de receber o título de capital mundial da gastronomia. O turismo cultural também é destaque dada a quantidade de museus, teatros, eventos como a Bienal de Artes e a Bienal do Livro.

Litoral:O litoral paulista tem 622 quilômetros de praias dos mais diversos tipos e tamanhos. Entre as cidades que mais recebem turistas no verão estão Santos, Praia Grande, Ubatuba, São Sebastião, entre outras.

Interior: No interior é possível encontrar estâncias, turismo rural, ecológico, municípios com clima europeu, cachoeiras, cavernas, rios, serras, fontes de água mineral, parques naturais, construções históricas dos séculos XVI, XVII, XVIII, igrejas em arquitetura jesuíta e sítios arqueológicos como o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR). Quem procura diversões mais intensas pode procurar o Hopi Hari, um dos principais parques temáticos do país, na Região Metropolitana de Campinas. Em matéria de ecoturismo, Brotas e Juquitiba tem a melhor infraestrutura. No inverno, o município de Campos do Jordão surge como a principal referência turística do estado paulista, com o Festival de Inverno e diversas outras atrações em um ambiente cuja temperatura pode chegar em marcas negativas.

Rodovias

Anchieta, SP-150

A Rodovia Anchieta (SP-150) faz a ligação entre a capital paulista, São Paulo e a Baixada Santista onde fica o Porto de Santos, passando pelo ABC Paulista. É uma das vias de maior movimentação de pessoas e de mercadorias de todo o Brasil, bem como a Rodovia dos Imigrantes, que constitui o mesmo sistema da Via Anchieta, o Sistema Anchieta-Imigrantes. Faz parte do sistema BR-050, que liga Brasília a Santos. A rodovia é o maior corredor de exportação da América Latina.

Anhangüera, SP-330

Rodovia Anhanguera é uma rodovia paulista, oficialmente denominada SP-330. Faz parte do sistema BR-050, que liga Brasília a Santos.

A Rodovia Anhanguera liga São Paulo com a região nordeste do estado e suas principais cidades industriais e a uma das mais produtivas regiões agrícolas.É uma das mais importantes rodovias do Brasil e uma das mais movimentadas, com o trecho de maior tráfego entre São Paulo e Campinas, o primeiro a ser construído. É duplicada, contendo trechos com faixas adicionais e pistas marginais. Têm um tráfego pesado, especialmente de caminhões. É considerada juntamente com a Rodovia dos Bandeirantes e a Rodovia Washington Luís o maior corredor financeiro do país, pois interliga algumas das mais ricas regiões metropolitanas do estado como São Paulo e Campinas, mais as regiões de Ribeirão Preto, São Carlos e Franca.

Ayrton Senna, SP-70

Recebe as seguintes denominações em seu trajeto: Ayrton Senna da Silva ou Trabalhadores De - até: São Paulo - BR-116 (Rodovia Presidente Dutra) e Carvalho Pinto, Governador De - até: Guararema - Taubaté

Bandeirantes, SP-348

A Rodovia dos Bandeirantes (SP-348) é uma rodovia do estado de São Paulo, Brasil. Ela é considerada uma das mais bem conservadas rodovias do país, classificando-se na primeira posição do ranking elaborado através de pesquisa rodoviária de 2006, realizada pela Confederação Nacional do Transporte.

Carvalho Pinto, SP-70

A Rodovia Carvalho Pinto cruza os municípios de Guararema, Jacareí, São José dos Campos, Caçapava e Taubaté, dando acesso ao litoral norte paulista pela Rodovia dos Tamoios (SP-99), outras localidades do Vale do Paraíba como Santa Branca, Paraibuna e Jambeiro e cidades do alto da Serra da Mantiqueira como Santo Antônio do Pinhal e Campos do Jordão.

Castelo Branco, SP-280

A Rodovia Presidente Castelo Branco (SP-280 - também denominada BR-374) é a principal ligação entre a Região Metropolitana de São Paulo e o Oeste Paulista, iniciando-se no acesso às vias marginais Tietê e Pinheiros em São Paulo e com término no entroncamento com a SP-225 em Santa Cruz do Rio Pardo.

Dom Pedro I, SP-65

A Rodovia Dom Pedro I, denominda oficialmente SP-65, faz a ligação do Vale do Paraíba (São José dos Campos, Taubaté) e a região de Campinas, partindo da Rodovia Henrique Eroles, em Jacareí, cruzando com as rodovias Carvalho Pinto e com a Rodovia Presidente Dutra ainda na altura de Jacareí, com a Rodovia Fernão Dias nas imediações de Atibaia, com a Rodovia Adhemar Pereira de Barros em Campinas, que oferece acesso ao sul de Minas Gerais e Rodovia Gen. Milton Tavares, também em Campinas. A rodovia termina no acesso ao km 103 da Rodovia Anhangüera.

Floriano Rodrigues Pinheiro, SP-123

A Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123) tem seu início no final da Rodovia Governador Carvalho Pinto e Rodovia Presidente Dutra, no município de Taubaté e termina na cidade de Campos do Jordão, perfazendo 45 km.

Recebe as seguintes denominações em seu trajeto:

Floriano Rodrigues Pinheiro De - até: Rodovia Presidente Dutra em Taubaté - Campos do Jordão - Trata-se de uma rodovia de pista simples, com uma faixa de rolamento em cada sentido, com exceção do trecho de serra, no qual existem duas faixas (3ª faixa) para o percurso ascendente. A aproximadamente 1000m de altitude, existe um túnel, com uma curva e com pouco mais de 200m de comprimento.

Imigrantes, SP-160

A Rodovia dos Imigrantes (SP-160) é uma importante rodovia do estado de São Paulo. Tem 44 viadutos, sete pontes e catorze túneis, em 58,5 km de extensão, de São Paulo a Praia Grande, no litoral sul paulista. É a principal via de acesso da cidade de São Paulo à Baixada Santista e ao litoral sul paulista, e possui um tráfego intenso de veículos, sobretudo durante o verão e em feriados.

Oswaldo Cruz, SP-125

A Rodovia Oswaldo Cruz (SP-125), é uma rodovia do estado de São Paulo que liga as cidades de Taubaté a Ubatuba, passando pelas cidades de Redenção da Serra (longe do centro), São Luís do Paraitinga e Natividade da Serra (longe do centro).

Padre Manoel da Nóbrega, SP-55

Recebe as seguintes denominações em seu trajeto:

Nome De Até
Manuel Hipólito Rego Doutor Ubatuba (km 53) Santos (km 248)
Rod. Piaçaguera-Guarujá (SP-248/55) Santos (km 000) Guarujá (km 008)
Rod. Cônego Domenico Rangoni Santos (km 248) Cubatão (km 270+800m) (SP-150)
Rod. Padre Manuel da Nóbrega Cubatão (km 270+800m) Miracatu (km 389+500m) (BR-116)

Raposo Tavares, SP-270

Recebe as seguintes denominações em seu trajeto:

Sem denominação de - até: SP-270 - Itaí - Santa Teresinha

Raposo Tavares, Rodovia de - até: São Paulo - Presidente Prudente - Divisa Mato Grosso do Sul

Régis Bittencourt, BR-116

A extensão total da rodovia é de aproximadamente 4,385 quilômetros, passando por dez estados, ligando cidades importantes como Pelotas, Porto Alegre, Caxias do Sul, Curitiba, São Paulo,São José dos Campos, Taubaté, Resende, Barra Mansa, Rio de Janeiro, Pelotas, Governador Valadares, Teófilo Otoni, Vitória da Conquista, Feira de Santana e Fortaleza.

Rio-Santos, BR-101

A rodovia BR-101, também denominada translitorânea, é uma rodovia federal longitudinal do Brasil. Seu ponto inicial está localizado na cidade de Touros (RN), e o final em São José do Norte (RS). Atravessa os estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Em parte de sua extensão tem também a denominação oficial de Rodovia Governador Mário Covas.

Tamoios, SP-99

Liga os municípios paulistas de São José dos Campos e Caraguatatuba, passando por Jambeiro e Paraibuna.

Recebe as seguintes denominações em seu trajeto: Tamoios, Rodovia dos De - até: São José dos Campos - Caraguatatuba.

História

Martim Afonso de Souza, donatário da Capitania, inicia o povoamento fundando a Vila de São Vicente, primeiro núcleo populacional do Brasil, em 1532. Em 1554, os jesuítas sobem o planalto e criam as Vilas de Santo André e de São Paulo de Piratininga, núcleo que deu origem à Cidade de São Paulo.

O Estado apresenta um desenvolvimento distinto nos 3 períodos políticos do Brasil.

Durante o período colonial, muito pobre e esquecida pela Corte, goza de grande autonomia e desenvolve costumes, arquitetura e hábitos bem característicos. São cultivados mandioca e milho, além de criação de gado, usando a mão de obra indígena. Nas primeiras décadas do século XVII, os paulistas avançam pelo sertão em busca do trabalho indígena e de minas de ouro, contribuindo para a expansão da Colônia, nas famosas "bandeiras". Até o século XIX, a economia da região baseia-se na agropecuária de subsistência. O açúcar passou a ser base econômica da Capitania no espaço de tempo entre a decadência da mineração e a eclosão do café. Com o açúcar surge o fazendeiro que mais tarde seria o Barão do Café, pois nas terras onde existia a agricultura canavieira substituiu-se pela cafeicultura.

Durante o Império, o café avança para o interior, favorecendo o desenvolvimento econômico do Estado. O café ocupa todo o Vale do Paraíba e espalha-se pelo interior. Com a abolição da escravidão, chegam os imigrantes, italianos, espanhóis, eslavos e japoneses. Eles trazem na bagagem o conhecimento de processos manufatureiros e a habilidade artesanal, que juntos com o capital proveniente do café acelera o processo de desenvolvimento industrial e comercial de São Paulo, tanto que já no início do século XX, controla todo o mercado nacional e inicia as exportações para a Europa e Estados Unidos pelo Porto de Santos. O café torna-se o responsável pelo crescimento da população, propiciando também a extensão das estradas de ferro. O processo de urbanização no Estado intensificou-se a partir do final do século XIX, quando a região começou a receber migrantes de outros locais do Brasil, tornando-se centro de uma ativa propaganda política republicana.

A riqueza e a industrialização sustentam a liderança paulista na República, junto com o Estado de Minas Gerais, a política do "café-com-leite". A partir de 1915 que ocorre a grande expansão da produção industrial paulista. No período de 1915 a 1919, estabelecem-se quase seis mil empresas no Brasil, a maioria em São Paulo. A crise do café, em 1929, leva ao rompimento da política café-com-leite culminando com a Revolução de 1930, que coloca fim à liderança da oligarquia cafeeira.

Começa o Governo Vargas.

Inconformada com seu afastamento do poder, a oligarquia desencadeia a Revolução Constitucionalista de 1932, em favor da redemocratização do País, mas são derrotados. Porém, continua como pólo econômico do País.

Sua agricultura se expande e crescem a indústria de transformação e, principalmente, as indústrias de bens de consumo e bens duráveis canalizando investimentos das multinacionais americanas e européias e as grandes correntes migratórias internas e se consolida entre as lideranças políticas e econômicas da América Latina. A indústria tornou-se a grande propulsora da economia paulista.